A Trindade

A palavra “trindade” é um termo usado para designar a chamada “doutrina cristã” de que Deus existe como uma unidade de três pessoas ou personalidades distintas: Pai, Filho, e Espírito Santo. Se for este o caso, então qual dos três nós adoramos e a quem nós oramos?

Você vai ouvir a resposta: “Ore ao Pai em Nome do Filho.” Só que a maioria das denominações ora “em nome do Pai, do Filho, E do Espírito Santo?

Onde está a verdade em tudo isso?

Um pouco de história:

A “Santíssima Trindade” foi introduzida no cristianismo por Constantino, um imperador romano, no ano 325 d.C. Constantino aparentava ser cristão porque parou a matança em massa de cristãos, pintou uma cruz nos escudos de seu exército, e erigiu uma cruz no topo da igreja de Santa Sofia. Na realidade, ele não era cristão, mas um político magistral.

Pouco antes de uma batalha contra o rival romano, Maxêncio, Constantino teve um sonho no qual foi instruído a pintar uma cruz nos escudos dos seus soldados. Ele estava contra uma vantagem esmagadora, sendo superado em número de dois contra um, mas seguiu as instruções e ganhou a batalha. Ele viu que havia algo especial no cristianismo, e reconheceu as orações dos cristãos como um poderoso aliado ao imperador.

Constantino, um pagão praticante, sediou o primeiro concílio ecumênico em Niceia, Roma, em 325 d.C., onde reuniu seitas cristãs e idolatria pagã. O encontro, apelidado de “Concílio de Niceia,” resolveu as diferenças entre grupos concorrentes do cristianismo, uniu a Igreja e o Estado, e deu poder a uma igreja universal. Havia basicamente duas facções cristãs rivais que Constantino estava reunindo. Uma facção considerava Jesus divino. A outra considerava Jesus um ser criado, e, portanto, menor que Deus. Depois de discussões acaloradas e muitas disputas políticas, o resultado foi o acordo de que o Filho era o verdadeiro Deus, coeterno com o Pai, e gerado a partir da mesma substância que o Pai. Isso fez Jesus “coigual” com Deus. Foi estabelecida a plataforma para a “Santíssima Trindade” ser aceita pela maioria das seitas do cristianismo.

Aqui está o primeiro “Credo de Niceia,” elaborado e implementado pelo Concílio de Niceia.

Nós cremos em um Deus, o Pai Todo-Poderoso, Criador de todas as coisas visíveis e invisíveis.

E em um Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus, nascido do Pai [o unigênito; ou seja, da essência do Pai, Deus de Deus,] Luz de Luz, verdadeiro Deus de verdadeiro Deus, gerado, não criado, sendo de uma só substância com o Pai;

Pelo qual todas as coisas foram feitas [tanto no céu quanto na terra];

O qual, por nós homens e por nossa salvação, desceu e se encarnou e se fez homem;

Sofreu, e no terceiro dia ressuscitou, ascendendo aos céus;

De onde virá para julgar os vivos e os mortos.

E no Espírito Santo.

[Mas aqueles que dizem: “Houve um tempo em que ele não era;” e “Ele não era antes de ter sido feito;” e “Ele foi feito a partir do nada,” ou “Ele é de outra substância” ou “essência,” ou “O Filho de Deus foi criado,” ou “sujeito a mudança,” ou “sujeito a alteração,” são condenados pela santa Igreja católica apostólica.]

Com o novo poder dado, os credos foram impostos com a pena de banimento, tortura e morte. Logo o mundo mergulhou na Idade das Trevas, onde mais de 68 milhões de pessoas foram mortas nos títulos do Pai, Filho e Espírito Santo (A Gloriosa Reforma, Schmucker, 1838).

Esta é uma breve explicação da Divindade apresentada no livro “Uma Exposição das Sete Eras da Igreja,” Capítulo 1.

Eles não acreditavam em três Deuses no princípio da igreja. Você não pode encontrar esse tipo de crença entre os apóstolos. Foi após a era apostólica que esta teoria foi introduzida e realmente tornou-se um debate e uma doutrina fundamental no Concílio de Nicéia. A doutrina da Divindade causou uma dissidência em duas direções. E dessa dissidência surgiram dois extremos. Um realmente entrou no politeísmo, crendo em três Deuses, e os outros entraram no unitarismo. É claro que demorou um pouco para acontecer, mas aconteceu, e nós o temos exatamente hoje. Mas a Revelação através de João pelo Espírito às igrejas foi: “Eu sou o Senhor Jesus Cristo, e Eu sou TUDO isso. Não há nenhum outro Deus”. E Ele pôs Seu selo sobre esta Revelação.

Considere isto: Quem foi o Pai de Jesus? Mat. 1:18 diz: “[Maria] achou-se ter concebido do Espírito Santo”. Mas Jesus, Ele Próprio, afirmou que Deus era Seu Pai. Deus, o Pai, e Deus o Espírito Santo, como frequentemente expressamos estes termos, tornam o Pai e o Espírito UM. Verdadeiramente eles são, ou então Jesus teve dois Pais. Mas note que Jesus disse que Ele e Seu Pai eram Um─não dois. Isso constitui UM Deus.

Visto que isto é histórica e escrituristicamente verdadeiro, as pessoas se perguntam de onde vieram os três. Tornou-se uma doutrina fundamental no Concílio de Nicéia em 325 d.C. Esta trindade (uma palavra absolutamente não escriturística) foi baseada nos muitos deuses de Roma. Os romanos tinham muitos deuses aos quais oravam. Eles também oravam a ancestrais como mediadores. Foi apenas um passo dar novos nomes a antigos deuses, de modo que temos santos para tornar isto mais bíblico. Assim, em lugar de Júpiter, Veneza, Marte, etc., temos Paulo, Pedro, Fátima, Cristóvão, etc., etc. Eles não podiam fazer sua religião pagã funcionar com apenas um Deus, portanto O dividiram em três, e fizeram dos santos intercessores como tinham feito intercessores de seus ancestrais.

Desde então as pessoas têm falhado em dar-se conta de que há apenas um Deus com três ofícios ou manifestações. Elas sabem que há um Deus conforme a Escritura, mas tentam estabelecer a teoria de que Deus é como um cacho de uvas; três pessoas com a mesma Divindade igualmente compartilhada por todos. Mas diz claramente aqui em Apocalipse que Jesus é “O Que é”, “O Que Era”, e “O Que Há de Vir”. Ele é o Alfa e o Ômega, que quer dizer que Ele é o “A até Z” ou O TUDO ISTO. Ele é tudo─o Todo-Poderoso. Ele é a Rosa de Sarom, o Lírio do Vale, a Resplandecente Estrela da Manhã, o Renovo Justo, o Pai, o Filho, e o Espírito Santo. Ele é Deus, Deus Todo-poderoso. UM DEUS.

I Tim. 3:16 diz: “E sem dúvida alguma grande é o mistério da piedade: Aquele que se manifestou em carne, foi justificado em Espírito, visto dos anjos, pregado aos gentios, crido no mundo, e recebido acima na Glória”. Isto é o que a Bíblia diz. Não diz nada acerca de uma primeira ou segunda ou terceira pessoa aqui. Diz que Deus foi manifestado em carne. Um Deus. Esse ÚNICO DEUS foi manifestado em carne. Isso deveria pôr fim à questão. Deus veio numa forma humana. Isso não fez Dele OUTRO DEUS. ELE ERA DEUS, O MESMO DEUS. Foi uma revelação então, e é uma revelação agora. Um Deus.

Apesar de “A Santíssima Trindade” ter subsistido ao longo das eras pela mão implacável da Igreja Católica, ela nunca é mencionada na Bíblia e tampouco foi este conceito ensinado em qualquer lugar das Escrituras. Na verdade, separar Deus em três pessoas diferentes o teria levado a ser apedrejado no Antigo Testamento por transgredir os dois primeiros Mandamentos.

Observe que a Igreja Católica renumerou os Dez Mandamentos, na essência removendo o Segundo Mandamento para se alinhar com a doutrina da Trindade e adoração de santos (mas esse é outro estudo).

Referências da Escritura

Êxodo 20:3

Não terás outros deuses diante de mim.


Êxodo 20:4

Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra;


Êxodo 20:5

Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR, teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a maldade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem;


Deuteronômio 4:35

A ti te foi mostrado para que soubesses que o Senhor é Deus; nenhum outro há, senão ele.


Deuteronômio 6:4

Ouve, ó Israel: O SENHOR nosso Deus é o único SENHOR:


Deuteronômio 10:14

Eis que os céus e os céus dos céus são do SENHOR, teu Deus, a terra e tudo o que nela há.

[Hebreus 1:2 diz: A nós falou-nos, nestes últimos dias, pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo;]


II Samuel 7:22

Portanto, grandioso és, ó Senhor JEOVÁ, porque não há semelhante a ti, e não há outro Deus, senão tu só, segundo tudo o que temos ouvido com os nossos ouvidos.


I Reis 8:60

Para que todos os povos da terra saibam que o SENHOR é Deus e que não há outro.


Isaías 7:14

Portanto, o mesmo Senhor vos dará um sinal: eis que uma virgem conceberá, e dará à luz um filho, e será o seu nome  Emanuel.

[“Emanuel” significa “Deus conosco”.]


Isaías 9:6

Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu: e o principado está sobre os seus ombros; e o seu nome será Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.


Isaías 37:16

Ó SENHOR dos Exércitos, Deus de Israel, que habitas entre os querubins; tu és o Deus, tu somente, de todos os reinos da terra; tu fizeste os céus e a terra.

[Hebreus 1:2 diz: A nós falou-nos, nestes últimos dias pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo;]


Isaías 43:10-11

10 Vós sois as minhas testemunhas, diz o SENHOR, e o meu servo, a quem escolhi; para que o saibas, e me creiais, e entendais que eu sou o mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá.

11 Eu, eu sou o SENHOR, e fora de mim não há Salvador.

[Lucas 2:11 diz: Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor. E João 4:42 diz: E sabemos que este é verdadeiramente o Cristo, o Salvador do mundo.]


Oséias 13:4

Todavia, eu sou o SENHOR, teu Deus, desde a terra do Egito; portanto, não reconhecerás outro deus além de mim, porque não há Salvador, senão eu.


Zacarias 14:9

E o SENHOR será rei sobre toda a terra; naquele dia um será o SENHOR, e um será o seu nome.


Mateus 28:19

Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;

[Qual é o Nome do Pai? O Nome do Filho? O Nome do Espírito Santo?]


João 1:1 e 1:14

1 No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus...

14...E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.


João 5:43

Eu vim em nome de meu Pai, e não me aceitais; se outro vier em seu próprio nome, a esse aceitareis.

[Se Ele veio em Nome de Seu pai, então qual é o Seu Nome?]


João 10:30

Eu e o Pai somos um.


João 12:45

E quem me vê a mim vê aquele que me enviou.


João 14:8-9

8 Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, o que nos basta.

9 Disse-lhe Jesus: Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai?


João 20:28

Tomé respondeu e disse-lhe: Senhor meu, e Deus meu.

[Tomé estava falando com Jesus]


Atos 20:28

Olhai, pois, por vós e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue.

[Fomos salvos pelo sangue do Espírito Santo ou pelo sangue de Jesus?]


Efésios 4:5

Um só Senhor, uma só fé, um só batismo;


Colossenses 1:12-20

12 Dando graças ao Pai, que nos fez idôneos para participar da herança dos santos na luz.

13 Ele nos tirou da potestade das trevas e nos transportou para o Reino do Filho do seu amor,

14 Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos pecados;

15 O qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação;

16 porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades tudo foi criado por ele e para ele:

17 E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele.

18 E ele é a cabeça do corpo da igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência.

19 Porque foi do agrado do Pai que toda a plenitude nele habitasse;

20 E que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra como as que estão nos céus.


Colossenses 2:8-10

8 Tende cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo e não segundo Cristo;

9 Porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade.

10 E estais perfeitos nele, que é a cabeça de todo principado e potestade;


I Timóteo 3:16

E sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade: Aquele que se manifestou em carne, foi justificado em espírito, visto dos anjos, pregado aos gentios, crido no mundo e recebido acima, na glória.


Hebreus 1:3

O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da Majestade, nas alturas;


I João 5:7

Porque três são os que testificam no céu: o Pai, a Palavra e o Espírito Santo; e estes três são um.

Envie para um Amigo

Enviar