06/02/2019
Uma Via de Escape

Esta é uma carta de uma jovem irmã sobre o irmão dela, mostrando do que se trata o Ministério em Prisões! Esperamos que a apreciem tanto quanto nós.

Olá, meu nome é Brianda Rodriguez, e gostaria de compartilhar o testemunho do meu irmão e o grande impacto que o ministério de distribuição de Mensagens em prisões teve sobre ele.

Em agosto deste ano, o Senhor colocou em meu coração de inscrever meu irmão para ser beneficiado da distribuição da Mensagem em prisões. Ele tem entrado e saído da prisão desde a adolescência, e sempre pedi ao meu Senhor para libertá-lo daquela vida.

Em setembro de 2018, ele me ligou muito preocupado, com voz apreensiva, dizendo que poderia ser ferido por outros presos, porque tinham pedido algo que ele não queria fazer.

Ele me disse que estava muito cansado daquele lugar horrível que é a prisão, mas ao mesmo tempo sabia que tinha de fazer o que lhe diziam, porque se não, poderiam feri-lo ou mesmo matá-lo. Eu não sabia o que dizer, não podia dizer para fazer algo errado, ou não fazer, porque poderiam machucá-lo.

Perguntei se havia recebido os livros para os quais o inscrevi e ele disse: “Ah, então foi você! Sim, eu os recebi ontem, e na verdade estava planejando começar a lê-los hoje depois dessa ligação”. Então eu disse: “Aí está minha resposta irmão, somente posso direcioná-lo ao Senhor Jesus Cristo, clame ao Senhor, Ele pode libertá-lo, Ele é o único!”

Por favor, leia esses livros, neles está a sua resposta! Então a chamada foi encerrada. Entrei em desespero por meu irmão e pedi oração às minhas irmãs e à minha igreja, pela libertação e salvação dele.

Nas semanas seguintes, ele me ligou dizendo que estava na solitária por ter sido pego fazendo algo errado, mas isso significava que ele estava a salvo de seus inimigos! Glória a Deus, minha oração foi respondida.

Então falei novamente dos livros, pedi para que os lesse. O que aconteceu depois disso é nada menos do que um milagre e uma promessa que o Senhor cumpriu para mim (Atos 16:29-31). “E, pedindo luz, saltou dentro e, todo trêmulo, se prostrou ante Paulo e Silas. 30 E, tirando-os para fora, disse: Senhores, que é necessário que eu faça para ser salvo?” Então, eles disseram: “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa”.

Eis o testemunho do meu irmão transcrito de uma carta escrita à mão que ele me enviou. Oro para que seja uma bênção.

Este é o testemunho do meu renascimento e da obra do meu Salvador em minha vida. Começarei compartilhando um pouco sobre como eu era, para ajudá-los a entender quão grande e compassivo é o nosso Senhor, independentemente do nosso passado.

Tenho 24 anos e apesar da minha pouca idade, passei os últimos sete anos da minha vida na prisão. Eu era um prisioneiro do mal, um escravo das drogas, sedento por dinheiro e capaz de qualquer coisa para me sentir bem e conseguir o que desejava. Não pensava em ninguém além de mim mesmo. Eu não era um bom filho, irmão, nem amigo, mas uma pessoa horrível. Muito egoísta e cego pelo pecado, pura maldade.

Minha irmã, que é uma verdadeira cristã, sempre me procurava para tentar me levar ao caminho certo e me convidar para vir a Cristo, para que eu pudesse deixá-Lo trabalhar em minha vida. No entanto, o diabo não me deixava aceitar o que ela oferecia ou aconselhava. Talvez você pense que ir para a prisão pode abrir os olhos e endireitar qualquer pessoa, mas não, se o diabo estiver controlando o corpo, a mente e o coração dela.

Eu recebia muitas, como dizem “chamadas para despertar”, mas não conseguia atender a nenhuma delas. Quero acreditar que apenas não era a hora certa. Ainda precisava ser quebrantado, “despojado” de tudo. Você poderia perguntar: “O que é pior do que a prisão?” certo? Bem, e quanto a ser viciado em drogas? Acordar todos os dias e a primeira coisa em sua mente é como conseguir drogas e a última coisa à noite não é sua família, uma oração ou qualquer coisa que importe. O que pensa é: como vou conseguir drogas amanhã?

Quão triste é viver assim, se é que podemos chamar isso de vida. Uma coisa sempre leva a outra, no meu caso, me levou a me unir a uma gangue da cadeia para facilitar meu acesso às drogas.

No começo, não foi tão ruim assim, mas nada é de graça neste mundo. Pediram-me para transportar drogas, atacar e roubar pessoas e fazer coisas para “meus irmãos”. Coisas que potencialmente poderiam me custar mais tempo preso, longe da minha verdadeira família, daqueles que realmente são importantes na minha vida. Mas você acha que me importava com isso? Infelizmente não, e na maior parte do tempo, por vários dias, nem sequer pensava nos meus entes queridos. Isso era o quão perdido e cego eu estava.

Os anos passaram, centenas de telefonemas, mal consigo me lembrar. Talvez milhares de mentiras contadas para conseguir dinheiro da família e dos amigos, para gastar com drogas. Quão perdido alguém tem que estar para passar por tudo isso, e não apenas sujeitar-se a isso, mas também arrastar as pessoas que cuidam e verdadeiramente se importam? Pensava seriamente que isto seria algo que nunca terminaria para mim. Não via aquela luz no fim do túnel, estava em total escuridão. O tempo passou e faltando cerca de um ano para sair da prisão, centenas de dólares desperdiçados em drogas, nada além de coisas negativas, sem instrução, livros, lazer ou artes, absolutamente “NADA!” Eu finalmente desmoronei, a 160 km/h ladeira abaixo. (DESTINO): Ladeira abaixo, no fundo do poço. A gangue me pediu para cumprir uma “ordem”. Preste atenção na palavra que acabei de usar. Não um favor, uma “ordem”. O que acontece no exército quando um soldado não faz o que lhe é ordenado? O mesmo tipo de coisa aqui, só que aqui você está na prisão. Comecei a ter dúvidas, o medo começou a tomar conta de mim, mas não tinha escolha. Tinha de fazer o que me “ordenaram”. Não entrarei em detalhes, mas fiz como me disseram, e as coisas deram errado. Fui revistado e aconteceu de ter drogas comigo, então fui enviado para a solitária por tempo indeterminado, muito provavelmente até ser solto, isso se não houver acusações contra mim.

Semanas antes, minha irmã tinha enviado alguns livros, os quais apenas toquei quando os recebi, e agora estavam na minha mesa. Enquanto estava deitado olhando para eles na solitária, comecei a pensar sobre o que minha mãe diria, quanta dor eu causaria a ela e a minha família ao dizer que não voltaria para casa tão cedo. Pensei no que tinha feito nos últimos quatro, cinco anos, o tempo que joguei fora, que passei longe da minha família, o dinheiro que peguei deles, a dor que lhes causei, feriados, aniversários, conquistas, bons momentos, e assim por diante. Minha mente girava a mil, dia após dia. Durante todo esse tempo, ficava deitado olhando para os livros que minha irmã me enviou. Pensei em minha irmã, todas as vezes em que falou comigo sobre Deus, todas as vezes que fingia ouvi-la, todas as coisas que tinha feito por mim e aqueles livros ali. Então, pensei, o mínimo que posso fazer é lê-los. “Boom!” Um alarme tocou, “outra chamada para despertar”, desta vez não apertei a opção soneca, não ignorei. Desta vez eu “despertei!” O nome do livro era “Um Prisioneiro” do Rev. William Marrion Branham. Imediatamente me identifiquei com isso.

Era a mensagem perfeita para mim. Ajusta-se perfeitamente a mim. Ele estava falando diretamente comigo? Isso foi escrito somente para mim? Este Deus estava falando comigo através deste livro? Isso estava realmente acontecendo? Belisquei meu braço, lavei meu rosto, li de novo. Não, eu estava bem acordado, então não era um sonho. Li de novo, ainda parecia tão pessoal, como falando diretamente comigo. Eu estava impressionado, confuso, feliz, tantas perguntas ao mesmo tempo. Fechei os olhos e depois de ler mais uma vez, tive uma resposta. Era Jesus Cristo me levantando do meu estado miserável. Ele permitiu que eu passasse por tudo isso por um motivo. Ele me despojou da cabeça aos pés, tomou minha liberdade, meus amigos, família, tudo e qualquer coisa, para me mostrar que Ele é o Todo-Poderoso, Rei dos reis e o único Deus.

Assim como aqueles livros que estavam na minha mesa, esperando que eu os pegasse. Meu Salvador ficou ali esperando pacientemente até que eu estivesse pronto para abrir a porta para Ele e deixá-Lo realizar a obra Dele em mim, limpar os meus pecados e me edificar à imagem Dele.

Agora me sinto livre de tudo, sem peso nos ombros, sem preocupações mesmo estando na solitária. Essa foi a melhor coisa que poderia ter acontecido comigo. Sinto-me mais livre do que quando estava no mundo, vivendo com os olhos vendados. Sempre ouvi dizer que Deus trabalha de maneira misteriosa.

Você sabe o que tenho a dizer sobre isso? AMÉM! Fui mudo, agora falo. Cego, agora vejo. Surdo, agora ouço. Perdido e agora fui encontrado. Agora durmo e acordo grato pelo que Ele fez comigo. Ele me ensinou a viver um dia de cada vez e quanto mais O busco, mais Ele me conduz na direção certa. Não sou mais um escravo do diabo ou um prisioneiro do estado, nasci de novo e agora sou um prisioneiro espontâneo de Deus.

Deus abençoe. Agradeço ao Senhor por Sua misericórdia e graça para comigo e minha família, e também agradeço ao ministério de distribuição da Mensagem em prisões pelo que fazem por aqueles que estão na prisão.

Que Deus continue a obra Dele através de vocês, e que Ele os recompense grandemente por alcançar aqueles que tão desesperadamente precisam desta Mensagem de amor.

EUA

Envie para um Amigo

Enviar