12/08/2019
Desde Então

Quantos de nós já tomamos a mesma atitude que esta jovem irmã tomou? Tiago 1:3 nos diz que a prova da nossa fé opera a paciência, portanto, quando não recebemos imediatamente o que pedimos, ainda assim devemos ficar animados porque Deus está criando paciência em nós. A irmã Raquel demonstrou sabedoria muito além de sua idade no testemunho a seguir.

Gostaria de compartilhar com os irmãos alguns testemunhos que o Senhor me concedeu no acampamento Still Waters; foram vários, um após outro.

Meu nome é Raquel Peralta, sou da Colômbia, e um dos maiores desejos do meu coração por muitos anos foi participar do acampamento Still Waters. Este ano consegui me inscrever, e no dia da inscrição eu estava ansiosa e à espera da contagem regressiva.

Quando o contador finalmente mostrou 0:00:00, eu cliquei, mas a página ficou lenta e em dois minutos eu estava na lista de espera do segundo acampamento. Fiquei muito triste, mas lembro-me que meu pai, pela fé, me disse que eu iria. Eu estava orando, dizendo ao Senhor que queria receber o batismo do Espírito Santo, e que esse era o principal motivo de eu querer ir ao acampamento.

Dias depois recebi um email, e era para o primeiro acampamento! Fiquei tão animada; o Senhor respondeu minhas orações. Começamos a nos preparar, mas alguns dias antes de viajar, eu adoeci, de modo que roguei a Deus para que pudesse estar bem para a viagem. Poucas horas antes da viagem o Senhor me curou de maneira milagrosa. Viajei junto com uma amiga que também foi ao mesmo acampamento. No dia do voo para os Estados Unidos, fizemos uma escala em Miami e depois seguimos para Louisville.

Em Miami tivemos quatro horas de espera no portão, e de repente mudaram o portão. A notificação chegou tarde demais e perdemos o voo. Uma vez que a culpa foi da companhia aérea, deram-nos uma passagem para a tarde do dia seguinte.

No dia seguinte voltamos ao aeroporto e fomos tomar nosso voo, mas como não tínhamos assentos reservados, teríamos de esperar para ver se tinha vaga no avião. Fiquei muito preocupada porque se não tivesse, nós perderíamos o voo novamente. Então escrevi para a irmã com quem me hospedaria em Jeffersonville e lhe pedi que orasse. Assim que a irmã e suas filhas começaram a orar, chamaram-nos para embarcar. Tinham acabado de reservar os assentos para nós! Naquele momento eu soube que foi só a mão de Deus que nos ajudou, e tivemos um momento de regozijo.

No primeiro dia do acampamento eu fiquei muito animada. O Still Waters é um pedaço do Céu, e pode-se sentir a Presença do Senhor em todo lugar lá. Na tarde do mesmo dia eu torci o pé, e sentia muita dor ao caminhar. A enfermeira veio, tratou-me, e tive de ficar com o pé enfaixado. Eu estava triste, era apenas meu primeiro dia de acampamento, e eu não ia poder aproveitar totalmente porque estava mancando. Mas também me lembro de ter pensado que o Senhor tem um motivo para tudo.

Lembro-me que em minha primeira Hora de Meditação lá, naquele mesmo dia no local da fogueira, eu pedi a Deus que me curasse. No segundo dia meu pé estava inchado, ainda doía, e eu caminhava com dificuldade. Naquele dia houve culto à noite, o qual foi o melhor culto da minha vida. O Senhor aquela noite respondeu minhas orações e me deu o batismo do Espírito Santo.

Ao voltarmos para o alojamento, percebi QUE MEU PÉ NÃO DOÍA AO ANDAR, E QUE EU ESTAVA ANDANDO PERFEITAMENTE! No resto da semana eu pude correr, andar e participar das atividades sem sentir dor. Deus foi tão bom para mim. Ele me concedeu a cura, não só do pé, mas de outras coisas que me afetavam. Ele me deu o batismo do Espírito Santo, e posso dizer agora que desde então minha vida mudou.

Irmã Raquel Peralta

Envie para um Amigo

Enviar